“Temos um modelo de negócio único e original”

A Roady está a investir cerca de 20 milhões em Portugal e prevê crescer o seu volume de negócios em 10% nos próximos anos. Domingos Simões, administrador, explica o conceito da rede e os objetivos para o futuro.

Como define o vosso conceito de rede oficinal?
Os centros auto Roady dispõem de oficina e loja com uma oferta de serviços diversos caracterizados por serem multimarca, em que a qualidade e a satisfação dos clientes são os elementos chave. A rede oficinal Roady privilegia o profissionalismo dos seus colaboradores, os horários alargados, a qualidade dos serviços, o atendimento personalizado, a rapidez e os preços justos.

A insígnia pertence ao Grupo Os Mosqueteiros, o que significa que conta com todo o apoio de uma estrutura organizacional integrada num grupo internacional, presente em Portugal há mais de 25 anos e líder europeu no setor da distribuição. Neste sentido e à semelhança das restantes insígnias do grupo, também o modelo de negócio de Roady é único e original. Cada loja é gerida autonomamente, pelo seu aderente/dono, que reside na localidade onde o espaço está implantado, havendo, desta forma, maior proximidade com os clientes e maior sensibilidade para com as necessidades destes. Por sua vez, esta proximidade permite que sejam equacionadas e desenvolvidas soluções adaptadas às necessidades específicas de cada localidade e, por conseguinte, o empenho na gestão da loja é, também, maior.

Quais os aspetos diferenciadores da Roady face à concorrência?
A mais-valia dos centros auto Roady está na sua excelente relação qualidade/preço. Este binómio, a par da proximidade que existe entre os nossos espaços e a comunidade onde se inserem, resulta na criação de uma forte relação de confiança. Por outro lado, nos centros auto Roady é possível encontrar serviços rápidos sem marcação e uma gama completa de produtos para o automóvel em horário alargado e com total garantia de tratamento profissional e seguro.

Que serviços são prestados pelos aderentes?
Os centros auto Roady prestam serviços de alinhamento de direção, testes de diagnóstico, revisões, substituição de amortecedores, testes de pré-inspeção automóvel, mudança de correia de distribuição, carregamento de ar condicionado e mecânica geral. No caso de colisões, alguns pontos de venda Roady têm parcerias locais a que recorrem enquanto fornecedores externos e a pedido do cliente.

Quais as vantagens e mais-valias de aderir à rede Roady?
As vantagens estão centradas no conceito de centro auto desenvolvido sob a marca Roady e que proporciona um serviço completo para um veículo, reunindo, no mesmo espaço, uma loja e uma oficina multimarca com equipas técnicas especializadas, onde não existe necessidade de efetuar marcação. O cliente tem a garantia de um serviço rápido e onde a fatura é sempre igual ao orçamento.

Pertencer ao Grupo Os Mosqueteiros é, claramente, uma vantagem competitiva para a marca Roady na medida em que, por um lado, conta com todo o apoio de uma estrutura de num grupo internacional presente em Portugal há mais de 25 anos e, por outro, cada ponto de venda é gerido autonomamente pelo seu proprietário que, ao residir na localidade da loja, conhece melhor as necessidades dos seus clientes.

Que formação é dada aos funcionários dos centros para se manterem atualizados com as novas tecnologias do automóvel?
A formação profissional é fundamental e caracteriza a forma de trabalhar não só do Roady como de todas as insígnias do Grupo Os Mosqueteiros. Nos centros auto Roady, a formação é adaptada às necessidades de cada colaborador e à constante evolução tecnológica do mercado. Dispomos de departamento de formação do Grupo os Mosqueteiros, a Fordis, que permite uma formação técnica especializada constante dos nossos colaboradores.

Para o efeito, dispomos de técnicos qualificados e disponibilizamos preços competitivos e transparentes (o cliente sabe sempre o que está a pagar e porquê). As equipas fazem um diagnóstico completo do problema e procuram a solução mais adequada ao problema que o cliente lhes coloca, considerando sempre uma relação qualidade/preço equilibrada.

Renovaram recentemente a vossa imagem? Quais os objetivos desta mudança?
A renovação que fizemos esteve relacionada com a necessidade de tornar a nossa imagem mais moderna e atrativa para os clientes. Além da alteração do logótipo, também os próprios centros auto Roady estão a renovar a imagem interior e a melhorar o nível da otimização das gamas apresentadas, facilitando, assim, a circulação e orientação do cliente.

Que ações a Roady tem desenvolvido para promover as oficinas junto do consumidor final?
Cada ponto de venda Roady, ao ter autonomia na gestão, encontrará a forma de melhor chegar aos clientes da sua comunidade de influência. Há, contudo, formas comuns de promoção da marca junto dos consumidores, como folhetos, publicidade institucional, newsletters digitais, presença na rádio nacional e nas redes sociais, que podem ou não ser individualizadas por ponto de venda.

A Roady trabalha com empresas e clientes profissionais?
A rede tem estabelecidas parcerias com o ACP - Automóvel Club de Portugal - para apoiar e satisfazer as necessidades oficinais dos seus sócios. No plano financeiro, temos parcerias estabelecidas com a Cofidis e, na área das gestoras de frotas, estamos a renovar uma parceria com a Arval. Alguns pontos de venda têm, igualmente, parcerias na área da substituição de vidros com a Grassdrive.

A rede garante vantagens competitivas aos seus aderentes?
O nível de qualidade dos serviços prestados é assegurado pelas regras que todos os aderentes aceitam e assumem ao integrarem a rede de centros auto Roady. Neste sentido, temos uma equipa no terreno disponível para acompanhar as lojas. Por outro lado, o facto de os aderentes estarem integrados num grupo internacional, como Os Mosqueteiros, faz com que se consigam vantagens competitivas significativas. Por essa via, conseguimos aceder a condições de preço e prazos de entrega favoráveis. Por outro lado, sendo cada loja autónoma na sua gestão, poderá conseguir para si condições locais mais favoráveis e adequadas a cada caso específico que surja nessa unidade.

Como está a preparar a sua rede para os desafios das novas tecnologias?
O site da Roady está bem construído e é de fácil acesso e navegação. Ainda assim, sentimos que é possível melhorar e estamos a trabalhar em alterações com vista a torná-lo ainda mais simples e rápido de forma a facilitar as consultas. Através deste suporte, enviamos periodicamente informação aos nossos subscritores. Estamos também presentes nas redes sociais, concretamente no Facebook. É uma forma de estarmos ligados direta e diariamente aos nossos clientes. Muitas vezes, o nosso cliente vai à página de Facebook antes de se dirigir fisicamente à loja. O cliente coloca na página as questões e dúvidas que pretende esclarecer.

Entre os nossos clientes, a faixa etária entre os 25 e os 34 anos tem grande peso e sabe-se como a adesão destes às redes sociais é significativa. Estar neste tipo de plataformas é um bom instrumento para estarmos em contacto e disponíveis a qualquer hora para os nossos clientes. Esta comunicação mais direta entre o consumidor e a marca faz com que seja possível responder às dúvidas dos clientes e ajudá-los/aconselhá-los em algumas situações o que, por vezes, acaba por se converter em negócio.

O que têm feito para melhorar a vossa qualidade de serviços?
Ao nível da qualidade de serviço, tem havido uma grande aposta na aquisição de novos equipamentos e na formação de colaboradores, um pilar que consideramos estrutural na nossa forma de trabalhar. Nos centros auto Roady, a formação é, aliás, adaptada às necessidades de cada colaborador e à constante evolução tecnológica do mercado. Em consequência, dispomos de técnicos qualificados e conseguimos disponibilizar preços competitivos e transparentes (no final da operação, o cliente sabe o que está a pagar por cada item). As equipas fazem um diagnóstico completo do problema e procuram a solução mais adequada, sempre considerando uma relação qualidade/preço equilibrada. Para chegar a esta melhor relação qualidade/preço, procuramos, também, estabelecer parcerias e acordos com distribuidores, que nos permitam aceder às melhores condições comerciais e aos menores prazos de entrega, a fim de minimizar o tempo de imobilização da viatura nas nossas oficinas.

Quais as principais ameaças e desafios que se colocam aos centros auto Roady nos próximos anos?
Os desafios resultam de uma crescente concorrência e da maior exigência do cliente final, cada vez mais informado e preocupado com a qualidade do serviço. Quem não se adaptar ao novo paradigma, estará fora da competição mais rapidamente do que se possa esperar. Daí a preocupação contínua e permanente pela qualidade dos serviços que prestamos na rede Roady.

Para onde caminham as redes oficinais no futuro?
No futuro, são vários os desafios que se colocam às redes oficinais. Por um lado, o mercado dos veículos híbridos está em forte crescimento. Por outro, a tecnologia presente nos veículos conectados está, também, a evoluir rapidamente, o que obriga as oficinas a adaptarem-se a uma nova realidade. Para além dos avanços tecnológicos, é importante pensar e analisar a situação no que diz respeito à concorrência desleal para a qual é necessário alertar entidades, mas, sobretudo, o cliente, que é a figura mais prejudicada em todo o processo.

Como foi o desempenho da rede Roady em 2016 e quais as previsões para 2017?
O volume de vendas da Roady cresceu 1,6% em termos de volume de negócio em 2016. Para este ano 2017, estimamos apresentar uma taxa de crescimento positiva e superior à de 2016.


FICHA TÉCNICA

•    Data da Fundação: 1982, em França. Desde 1998 em Portugal, com o primeiro ponto de venda em Almada
•    Número de oficinas aderentes atualmente: 32
•    Objetivo para o número oficinas aderentes até final 2017: 34
•    Tipo de serviços prestados: serviços rápidos, pneus, pintura, mecânica. SOM – Serviços de Oficina Multimarca
•    Critérios de adesão à rede: capacidade financeira do candidato que assegure estabilidade na fase de arranque. O perfil das oficinas aponta para uma área de 700 m2, sete boxes, área de venda entre 300 a 380 m2, zona de tráfego, preferencialmente com área de estacionamento, boa visibilidade e facilidade de acessos. O número de colaboradores oscila entre os 12 e os 18, conforme estudo de potencial
•    Investimento mínimo inicial para entrar na rede: €75.000
•    Tempo médio de entrada na rede: plano de formação médio de seis meses
•    Número médio de funcionários: média de 13 por PDV