“Saber evoluir num mercado em mudança”

Paulo Agostinho, diretor geral da AleCarPeças Paulo Agostinho, diretor geral da AleCarPeças

A AleCarPeças é uma empresa de cariz familiar que acaba de cumprir 35 anos. Tem na sua génese o conceito de comercialização de marcas alemãs de elevada qualidade. Paulo Agostinho, diretor-geral, faz um balanço da atividade.

A sua assinatura “Soluções Made in Germany” é levada muito a sério e a evolução da oferta nos últimos anos demonstra isso mesmo, através da introdução de marcas de primeiro equipamento. A AleCarPeças mantém a visão de oferecer produtos e serviços de elevada qualidade, distribuídos de forma clara e sem equívocos sobre o papel de cada player.

Quais os principais objetivos da AleCarPeças?
Temos como objetivo crescer de forma sustentada, garantindo aos nossos parceiros uma relação que vai para além da venda de peças. Uma parceria é muito mais do que isso. Pensamos ser esta a melhor forma de honrar a memória dos fundadores da empresa, pensando a longo prazo e encontrando soluções que permitam continuar a evoluir.

O que distingue a cultura da AleCarPeças?
Não pretendemos ser diferentes só por ser diferentes, isso seria algo arrogante da nossa parte. Temos, sim, necessidade de apresentar propostas alternativas à realidade de um mercado extremamente competitivo. Dedicação ao cliente, oferta completa, flexibilidade da estrutura da AleCarPeças são marcas que permitem criar alternativas para os parceiros que cofiam na empresa e na sua capacidade de continuar a evoluir.

Que produtos e serviços podem os clientes encontrar na AleCarPeças?
De uma forma geral, todas as gamas “típicas” do aftermarket estão presentes na oferta da AleCarPeças. Desde filtros, embraiagens, suspensão, direção, travagem, baterias, lubrificantes, um sem fim de gamas que elevam, hoje, a oferta global da AleCarPeças acima das 30.000 referências em stock.
No que se refere aos serviços, disponibilizamos plataformas web direcionadas para os clientes, que permitem um acesso mais rápido e eficaz com a nossa organização. Em breve, existirão mais novidades nesta área.

Quais são os vossos principais parceiros e qual tem sido a relação com os mesmos?
Nos últimos anos, a AleCarPeças incorporou muitas novas marcas na sua oferta, mas mantém o seu ADN neste processo, ou seja, continua a ter fornecedores que acompanham a empresa desde o seu início. A continuidade e coerência da estratégia de marcas é uma realidade que todo os fornecedores da AleCarPeças conhecem. Temos com todos eles uma relação transparente e informada. É assim que vemos o negócio. Obviamente que os fornecedores históricos, como Febi, Pagid, Bilstein e Hengst, pelos anos que acompanham a AleCarPeças, são um marco para a empresa, mas não menos importante são as novas parcerias com o Grupo ZF, Gates, Valeo, LIQUI MOLY, Ate, sem esquecer as nossas mais recentes incorporações: Nipparts e Open Parts.
Todos eles fazem já parte da história da AleCarPeças.

Os colaboradores são o cartão de visita de qualquer empresa. Como descreve os colaboradores que compõem a vossa equipa?
Sem dúvida. Os colaboradores da AleCarPeças são a mola real para que seja possível trabalhar de forma organizada e eficaz, sempre com o objetivo de diariamente fazer melhor. Neste particular, temos a felicidade de puder contar com uma equipa de colaboradores de excelente qualidade técnica e humana, que têm sabido sempre acompanhar a evolução e exigência que o nosso negócio apresenta.

Quais foram as principais ações e eventos realizados pela AleCarPeças em 2017?
Para além de algumas ações de formação organizadas em conjunto com os nossos fornecedores, efetuamos uma viagem a Alemanha com clientes. Tendo em conta que celebrávamos o 35.º Aniversário da empresa, foi tomada a decisão de estarmos presentes na MECÂNICA, em Lisboa. Foi uma forma de celebrarmos esta importante data junto de clientes, fornecedores e amigos.

Quais os projetos para o futuro?
Continua a estar planeada a abertura de mais um ponto de venda, que pretendemos ver concretizada em breve. Em relação a marcas e produtos, estamos num intenso processo de implementação das marcas Open Parts e Nipparts, que devem assumir um papel preponderante na futura arquitetura de marcas da AleCarPeças. Não menos importante, é a aposta nas novas gamas que surgem fruto da entrada de veículos híbridos e elétricos. Estaremos atentos a esta realidade.

Relativamente ao estado da distribuição de peças automóvel no nosso país, quais as principais dificuldades que encontram no exercício da vossa atividade?
Extrema competitividade. Num mercado maduro como o nosso, a agressividade comercial continua a ser um forte argumento para todos os players do mercado.

Quais são as suas preocupações relativamente ao futuro do aftermarket em Portugal?
O saber evoluir num mercado que está num processo de transformação que será bem mais acelerado do que noutros momentos. Sendo uma preocupação, é, também, uma grande oportunidade que se nos apresenta. Temos essa convicção e pretendemos ser capazes de agarrá-la.