Grupo IMA pretende mobilidade conectada e mais segura

O Grupo IMA é o líder europeu na prestação de serviços telemáticos em automóveis. Os alertas recebidos continuam a aumentar: durante o primeiro trimestre de 2017, as plataformas do grupo receberam mais de 20.000 alertas, 2.500 dos quais provenientes de Espanha e Portugal.

A empresa defende a colaboração com as autoridades, centros de emergência e plataformas TPS (Third Party Supported eCall) em todos os países onde se aplica a norma. Este sistema permite que os centros de emergência recebam apenas 10% do volume total de chamadas depois de ser efetuada uma triagem de gestão de cada alerta geolocalizado por parte de plataformas como as do IMA.

Mas o que acontece aos veículos que não têm este sistema integrado? O IMA aposta numa condução mais segura para todos, pelo que desenvolveu, juntamente com a Splitsecond, o primeiro dispositivo certificado eCall de acordo com as normas europeias e que integra a assistência do IMA.

Trata-se de um sistema que geolocaliza o veículo e emite o alerta com todas as informações para o IMA, que filtra e comunica aos centros de emergência apenas as chamadas de alerta, como a eCall, já integrada no veículo. O Splitsecond é um dispositivo que se liga a qualquer entrada de 12V do automóvel, como o isqueiro.

O IMA criou, também, numa parceria com a Cosmo Connected International, o primeiro indicador de travão conectado ao capacete. O objetivo desta ação é proporcionar maior segurança aos motociclistas, ao colocar o sinal luminoso à altura dos olhos, tornando-o, desta forma, visível aos restantes condutores.

Segundo dados recolhidos pelo grupo, aproximadamente metade dos contratempos que envolvem motociclistas são culpa dos condutores de automóveis. Em caso de acidente, é criado um alerta automático para um centro de emergência, que irá encarregar-se de socorrer a pessoa afetada. Para além disso, pode ser ativado um alerta para avisar os familiares por SMS ou email.

A partir de 1 de abril de 2018, entrará em vigor a norma aprovada pelo Parlamento Europeu que obriga à integração do dispositivo de chamada de emergência eCall em todos os veículos comerciais ligeiros e de passageiros matriculados pela primeira vez.