Jeep Cherokee Diesel Longitude

Mesmo não tendo os nativos costumes das gerações que o antecederam, o novo Jeep Cherokee pertence à tribo da terra. Ainda que disponha, na versão aqui em análise, de tração apenas dianteira. Equipado com o motor Diesel Multijet 2 de 2,0 litros com 140 cv, da Fiat Powertrain, este SUV seduz pela imagem, pelo conforto e pelo equipamento.

As raízes tribais fazem parte do seu ADN, mas os costumes, esses, são bem diferentes. A quarta geração do Cherokee, desenvolvida sob alçada do Grupo Fiat, pode não ter o lado purista nem o espírito nativo dos seus antepassados, fruto da modernização de que foi alvo, mas não deixa de seduzir. Mesmo na versão 4x2 equipada com um motor Diesel de “apenas” 140 cv. Mas se há marca que sabe bem o que é um SUV, é a Jeep. Ou não tivesse ela criado, em 1984, este conceito do outro lado do Atlântico... 

jeepcherokee1

Olhar sedutor
As opcionais jantes cromadas de 18” (custam €350) melhoram substancialmente o visual do conjunto, mas grande parte do apelo deste Jeep deve-se ao olhar sedutor dos seus grupos óticos. A imponente grelha cintilante conserva todo o património genético da marca e apresenta uma nova abordagem. As cavas das rodas vincadas, a secção inferior dos pára-choques em preto e as barras cromadas no tejadilho, contribuem para o charme deste SUV fabricado em Toledo, no estado norte-americano do Ohio.

Moderno, funcional e bem construído, o habitáculo inclui um volante de três braços, que, juntamente com o correto apoio do banco e posicionamento ergonómico dos pedais, oferece um posto de condução confortável e eficaz. Outro dos trunfos é o espaço para ocupantes e bagagem, que cumpre os requisitos de uma utilização familiar.

jeepcherokee2

Com uma lista de dispositivos de segurança que contempla sete airbags, encostos de cabeça dianteiros ativos e controlo de estabilidade com mitigação eletrónica de capotamento, só para citarmos alguns, o Cherokee aqui em apreço está equipado até ao dentes.

Ao integrar tudo  o que é possível aplicar na versão Longitude (pintura metalizada e packs Confort, Technology e Dynamic), está explicada grande parte da agradabilidade que este SUV proporciona. Desde ar condicionado automático bizona até travão de estacionamento elétrico, passando pelo banco do condutor com regulação elétrica, retrovisor interior eletrocromático com microfone, volante em pele com comandos do sistema áudio, luzes diurnas de LED, retrovisores rebatíveis, sistema de acesso sem chave, sistema de som com nove colunas mais subwoofer e rádio RG4 Uconnect, com media center, ecrã tátil de 8,4”, Bluetooth, navegação e comando de voz, o novo Cherokee está recheado de mimos.

jeepcherokee3

Aventureiro, mas pouco
Na versão aqui em análise, este Jeep está equipado com o motor Diesel Multijet 2 de 2,0 litros com 140 cv, da Fiat Powertrain, que traz acoplada caixa manual de seis velocidades e trabalha em estreita colaboração com um sistema Stop & Start particularmente bem afinado. O facto de recorrer à plataforma do Alfa Romeo Giulietta, por mais estranho que possa soar em termos comerciais, permite-lhe usufruir de uma suspensão que proporciona um bom compromisso entre conforto e eficácia. Na frente, é usado o esquema McPherson, ao passo que, na traseira, o novo Cherokee dispõe de um esquema Multilink. E nem mesmo o facto de ter opcionais jantes de 18”, com pneus de perfil ligeiramente mais baixo face aos propostos de série, prejudica o conforto.

Na primeira parte do nosso teste, que decorreu em estrada, este Jeep demonstrou ter um desempenho seguro, previsível e consistente. A boa solidez do conjunto é meio caminho andado para alcançar um resultado convincente, sendo a outra metade da responsabilidade do competente trabalho da suspensão, dos pneus Bridgestone Dueler H/P Sport, dos travões e da direção. Só não gostámos do comando da caixa (podia ser menos renitente nas trocas de mudanças) e da falta de fulgor do motor Diesel de 140 cv. Para 1828 kg de peso do conjunto, impunha-se uma opção mais potente.

jeepcherokee4

Depois de algumas dezenas de quilómetros percorridos em estrada, abandonámos o alcatrão e dirigimo-nos aos terrenos acidentados de areia e terra. Já sabíamos que, com tração apenas dianteira, a utilização deste SUV estava sujeita a uma grande dose de bom senso. Para mais, com uma altura ao solo de 185 mm e ângulos de ataque, saída e ventral de 16,9°, 24,5° e 17,8°, respetivamente, as incursões tiveram de ser bem ponderadas. Ainda assim, mesmo com estas limitações, o novo Cherokee cumpriu a sua tarefa sem grandes dificuldades de maior. Sempre com níveis de consumo atrativos.

 

Ficha Técnica

MOTOR
Tipo: 4 cilindros em linha Diesel, transversal, dianteiro
Cilindrada (cc): 1956
Diâmetro x curso (mm): 80,0x90,4
Taxa de compressão: 16,5:1
Potência máxima (cv/rpm): 140/4000
Binário máximo (Nm/rpm): 350/1750-2500
Distribuição: 2 v.e.c., 16 válvulas
Alimentação: injeção direta common-rail
Sobrealimentação: turbo VTG + intercooler

TRANSMISSÃO
Tração: dianteira com ESP
Caixa de velocidades: manual de 6+ma 

DIREÇÃO
Tipo: cremalheira
Assistência: sim (elétrica)
Diâmetro de viragem (m): 11,6

TRAVÕES
Dianteiros (ø mm): discos ventilados (330)
Traseiros (ø mm): discos maciços (278)
ABS: sim, com EBD+BAS+Hill Start Assist

SUSPENSÕES
Dianteira: McPherson
Traseira: Multilink
Barra estabilizadora frente/trás: sim/sim

PERFORMANCES ANUNCIADAS
Velocidade máxima (km/h): 187
0-100 km/h (s): 10,9
Consumos extra-urb./misto/urb. (l/100 km): 4,6/5,3/6,4
Emissões de CO2 (g/km): 139
Nível de emissões: Euro 5
Ângulos de ataque/saída/ventral (°): 16,9/24,5/17,8

DIMENSÕES, PESO E CAPACIDADES
Cx: 0,33
Comprimento/largura/altura (mm): 4624/1858/1670
Distância entre eixos (mm): 2699
Largura de vias frente/trás (mm): 1575/1573
Altura ao solo (mm): 185
Capacidade do depósito (l): 59,8
Capacidade da mala (l): 412
Peso (kg): 1828
Relação peso/potência (kg/cv): 13,0
Jantes de série: 7Jx17”
Pneus de série: 225/60R17
Pneus da unidade testada: Bridgestone Dueler H/P Sport, 225/55R18 98V

GARANTIAS
Mecânica: 2 anos s/ limite kms
Pintura: 7 anos
Anticorrosão estrutural: 7 anos

ASSISTÊNCIA
1.ª revisão: 1 ano ou 25 000 km
Custo 1.ª revisão (c/ IVA): €250
Intervalos: 25 000 km 

Imposto Único Circulação (IUC): €255,78
Preço (s/ despesas): €43 000 (unidade testada: €46 100)