Fiat Dobló

A marca transalpina aproveitou para renovar o Dobló, depois de seis anos no ativo. A quarta geração está mais moderna, mais apelativa e mais versátil, sem perder os reconhecidos argumentos dinâmicos. A gama de motores modernizou-se e ganhou versões Ecojet.

Na 65.ª edição do Salão de Hanover, certame que se dedica a apresentar as últimas novidades para o mercado dos veículos de trabalho, a Fiat exibiu-se em plena força. Depois de ter iniciado a comercialização do novo Ducato durante este ano, terminará 2014 da melhor forma com a apresentação da quarta geração do Dobló, um veículo que foi desde sempre reconhecido pela sua capacidade e habilidade como parceiro de trabalho.

Apesar de tratar-se de um restyling, as mudanças estéticas são grandes. A começar, e tal como documentam as imagens, pela nova secção dianteira, mais estilizada e em consonância com os novos padrões da marca italiana. De acordo com a Fiat, as alterações estéticas são na ordem dos 40%, passando a existir a possibilidade de montar um terceiro lugar na cabina, como, aliás, já acontece com a maioria dos concorrentes. E que era um argumento que o Dobló não tinha. Nem podia oferecer.

fiatdoblo1

Múltiplas configurações
Como já havíamos comprovado por diversas vezes, o anterior Dobló era, sem dúvida, um dos mais dinâmicos veículos comerciais do mercado, graças à sua suspensão traseira duallink, solução que se mantém nesta quarta geração, deixando antever uma dinâmica apurada, sem beliscar nenhum dos argumentos de trabalho do veículo, volumetria e facilidade de carga.

Se o exterior mudou, o habitáculo também foi alvo de diversas melhorias. É fácil descortinar um novo volante, redesenhado, com um novo bloco central e comandos dos lados, um painel de instrumentos, mais moderno, com um aro cromado ao redor de cada um dos indicadores, entradas USB e AUX e, em algumas versões, a possibilidade de incluir o sistema multimédia com navegação da Fiat, Uconnect NAV5, que inclui, para além da navegação, a ligação ao smartphone. Os painéis das portas também foram redesenhados para o habitáculo poder acomodar o terceiro banco.


Com comercialização agendada para o início de 2015, o novo Dobló inclui, em função do mercado a que se destina, quatro carroçarias distintas: Cargo, Combi, pick-up e chassis cabina. Disponibiliza duas alturas e duas distâncias entre eixos. Ou seja, tudo somado, a gama permite 200 tipos de chassis à escolha para um leque de 1000 versões e soluções possíveis. Desde furgões convencionais a versões convertidas em oficinas, entre outros tipos de configurações.

fiatdoblo2

Inúmeras opções
Nesta nova geração, a Fiat passa a disponibilizar versões Ecojet, que combinam consumos reduzidos com custos de manutenção muito baixos. A gama de motores também vai ser vasta. Inicia-se com os blocos 1.3 Multijet de segunda geração, com 75 e 90 cv (o binário foi aumentado em 40%), sendo que este último equipa a tal versão “Ecojet”, mais económica. Mas há mais. A gama mantém o motor 1.6 Multijet, agora também de segunda geração, com potências de 90, 100 e 120 cv, sendo que o primeiro passa a estar disponível apenas com uma caixa robotizada, para facilitar a condução em ambiente urbano.

Para entregas urgentes, a Fiat disponibiliza ainda uma variante 2.0 de 135 cv. Em alguns mercados, a marca italiana vai manter o motor 1.4 Natural Power de 120 cv (gasolina e metano) e mais alguns blocos a gasolina, que não tem qualquer interesse para o mercado português.

Em relação aos volumes de carga, tudo se mantém, sendo a versão XL mais comprida e de teto alto, com 4,2 m3 de volume total. Em opção, vai ser possível montar o sistema Traction+, que garante maior poder de tração em terrenos escorregadios.
Tal como o seu antecessor, o novo Dobló será produzido na fábrica da Tofas, na Turquia, que ainda “dá à luz” o atual modelo.

Versão Dobló Ecojet: o que é?
As versões Ecojet, tal como o nome indica, foram desenvolvidas para garantir consumos e custos de manutenção mais reduzidos. É por isso que contam com sistema start/stop, pneus de baixa resistência ao rolamento, óleo de baixa viscosidade, alternador mais resistente, bomba e óleo variáveis e ainda pacote aerodinâmico, que inclui alguns apêndices distintos na carroçaria. Tanto pode ser associado aos motores 1.3 como aos blocos 1.6, todos Multijet.

 

Motor                Potência (cv)                    Binário (Nm)

1.3 Multijet II         75                                     200
1.3 Multijet II         90                                     200 (versão Ecojet)
1.6 Multijet II         90 (caixa robotizada)          200
1.6 Multijet II        100                                    290
1.6 Multijet II        105                                    290 (versão Ecojet)
2.0 Mutijet II         135                                    320