Volvo FH16 I-Shift Dual Clutch

A Volvo não explica se é apenas por uma questão de marketing, mas fez questão de ser a primeira marca de camiões a lançar no mercado uma caixa de velocidades de dupla embraiagem.

O sistema é idêntico ao utilizado pelos automóveis, salvaguardando as devidas distâncias, e promete mais fluidez na condução a um preço competitivo. Para já, só o motor D13 a pode receber. Ao mesmo tempo, a marca nórdica mostrou o FH16 com 750 cv, um colosso do asfalto.

O construtor de camiões Volvo Trucks lança a transmissão I-Shift Dual Clutch, equipada com duas embraiagens, uma exclusividade no mundo dos veículos pesados. Graças à tecnologia que coloca em funcionamento ao mesmo tempo as duas embraiagens, até aqui reservada aos veículos ligeiros, as mudanças de relação efetuam-se sem perda de potência.

volvofh161

A I-Shift Dual Clutch é uma transmissão com dois veios de entrada e uma embraiagem dupla. Significa isto que podem ser selecionadas duas relações de caixa ao mesmo tempo. A embraiagem determina qual a velocidade atualmente ativa. A I-Shift Dual Clutch baseia-se na I-Shift, mas a metade da frente da caixa de velocidades foi concebida com componentes completamente novos.

Esta transmissão é especialmente eficaz em operações de longo curso e em condições que requerem muitas mudanças de velocidade, como inclinações em estradas muito sinuosas ou ainda condução urbana com várias rotundas e semáforos.

Conforto superior
A I-Shift Dual Clutch pode, também, fazer toda a diferença quando se transportam cargas móveis ou líquidas, como o transporte de animais e cisternas, dado que as mudanças de velocidade perfeitas provocam menos movimentos da carga. Graças à transmissão sem perdas de potência da I-Shift Dual Clutch, o risco de ficar preso em estradas escorregadias ou irregulares é menor, por exemplo quando se transporta madeira na floresta, como acontece com muita frequência no Norte da Europa.

volvofh162

Outra grande vantagem da nova transmissão é o facto de aumentar o conforto do motorista. Para além de uma condução eficiente, as suaves mudanças de velocidade permitem que o ambiente no interior da cabina se torne mais silencioso. Para já, a nova caixa está disponível no Volvo FH com motores D13 Euro 6 e com potências de 460, 500 e 540 cv. Enquanto a caixa I-Shift “normal” ainda provoca algumas hesitações nas passagens, principalmente em situações de longas subidas, a nova caixa de dupla embraiagem acaba por eliminar essas indecisões, criando uma fluidez de condução que seria quase impossível de esperar num veículo de 40 toneladas. 

I-Shift Dual Clutch: principais características
Apesar dos muitos componentes novos e diferentes quando comparada com a caixa de velocidades I-Shift, a nova I-Shift Dual Clutch é apenas 12 cm mais comprida do que a caixa automática convencional. Tem 12 velocidades, tal como a caixa “normal”. Toda a secção traseira da caixa Dual Clutch é idêntica à da I-Shift. As grandes diferenças encontram-se na parte da frente da caixa. Suporta até 2800 Nm de binário (nesta primeira fase) e pode ser utilizada em camiões até 60 toneladas.

Volvo FH16: novo motor de 16 litros
Ao mesmo tempo que apresentou a caixa de velocidades de dupla embraiagem, a Volvo Trucks mostrou ao mundo o seu motor mais potente: o bloco de 16 litros, específico para atividades mais “pesadas”. A nova gama de motores Euro 6 inclui três níveis de potência: 750 cv (3.550 Nm), 650 cv (3.150 Nm) e 550 cv (2.900 Nm). Todas trazem acopladas transmissão automática I-Shift. A versão com 550 cv também está disponível com uma variante de 2.800 Nm para uma caixa de velocidades manual.

Para conseguir baixos níveis de emissões de NOx, a que a norma Euro 6 obriga, a Volvo Trucks utiliza a tecnologia EGR (Recirculação de Gases de Escape) refrigerada em conjunto com um sistema para pós-tratamento de gases de escape. O novo turbo de duplo estágio ajuda a alimentar o ciclo de EGR, proporcionando, também, elevada potência. O motor dispõe de injeção piloto. O que significa que uma pequena quantidade de combustível é injetada previamente no cilindro, possibilitando uma formação de pressão mais uniforme e um funcionamento mais suave do motor.