Lexus NX 300h F Sport

É o modelo híbrido mais sedutor do mercado. Tem o açúcar que um homem precisa e fornece a dose ideal de hidratos de carbono. Com um design irresistível, 197 cv de potência máxima combinada e um nível tecnológico difícil de igualar, o Lexus NX 300h F Sport é um SUV sublime. Só é pena o desempenho dinâmico pouco acutilante.

Sublimação híbrida
Dos sete modelos que compõem a oferta da Lexus em Portugal, seis incluem versões híbridas. Desde o compacto CT 200h ao topo de gama LS 600h, há muito por onde escolher. Apesar disso, um modelo há que se destaca dos restantes: o NX 300h. Ainda para mais, quando equipado com o pack F Sport, que lhe aumenta (e de que maneira) o apelo. Sem corrermos o risco de estar a exagerar, podemos afirmar, em nome da lucidez analítica, que o novo crossover da marca de luxo da Toyota é o modelo híbrido mais sedutor do mercado. Não admira, pois, que o rapper, cantor, compositor, intérprete, ator, músico e produtor norte-americano William James Adams Jr., ou, simplesmente, will.i.am, tenha “emprestado” o seu rosto à campanha “striking angles”, criada em parceria com a marca nipónica. Também nós ficámos de queixo caído...

Avaliacao Obrigatoria Lexus NX 2

Sex symbol
Talvez a expressão para classificar os contornos (definidos) do NX 300h seja um lugar-comum, mas é a que mais perdura no pensamento de quem o observa. Pela elegância do design, pelo bom gosto evidenciado na elaboração de cada detalhe e pela atenção que desperta onde quer que se encontre, o novo crossover da Lexus é um autêntico sex symbol. Como se já não bastasse a carroçaria pintada de branco, que realça o alinhamento estilizado dos faróis de LED e as luzes de circulação diurna em forma de ponta de seta, o pack F Sport confere-lhe um ar desportivo. Para além de jantes de 18” com design sombreado, montadas em pneus especificamente produzidos pela Bridgestone para este modelo (Dueler H/L 33, de medida 235/55R18), o pacote de equipamento acima mencionado acrescenta uma grelha fusiforme com design acentuado, para-choques melhorado ao nível da aerodinâmica com spoiler, imponente grelha “L-mesh” em preto e capas dos retrovisores e logótipos laterais em preto mate.

Por dentro, o design é tão irresistível como o exterior. Volante de três braços, pedais e apoio para o pé esquerdo em alumínio perfurado, revestimentos em pele nos bancos, tablier, portas e várias secções, mostradores com iluminação azul e relógio analógico, são algumas características que destacamos. A qualidade de construção é muito boa. O posto de condução também. Espaço para ocupantes e bagagem não falta.

O NX 300h beneficia dos mais sofisticados sistemas de segurança da Lexus: sistema de pré-colisão (PCS); controlo de estabilidade do veículo (VSC); cruise control adaptativo desde 0 km/h (ACC); assistência à manutenção na faixa de rodagem (LKA); monitor de ângulo-morto (BSM); luzes automáticas de máximos (AHB); alerta de trânsito em marcha-atrás (RCTA). E muitos mais poderiam ser adicionados.

No que toca a equipamento, a unidade aqui em ensaio está tão recheada, que este espaço não chega para enumerar todos os seus itens. Ainda assim, destacamos o visor head up, os bancos desportivos, o volante com regulação elétrica, o sensor de força g, o sistema de navegação premium, a abertura e fecho elétrico da bagageira, o carregador de telemóvel wireless, o teto panorâmico, o sistema áudio com 10 altifalantes e sintonizador DAB, o ecrã de 7” controlado por touchpad e o monitor de assistência ao estacionamento com guias integradas.

Três motores
Confortável q.b., seguro, previsível e fácil de conduzir, ainda que o tato do pedal do travão exija alguma habituação, mas pouco ágil e acutilante. Apesar de estar equipado com amortecedores desportivos à frente e atrás e suspensão variável adaptativa, esta última por via do opcional pack Sports Driving de que dispõe (inclui também o modo de condução Sport+, que se junta, assim, aos Eco, Normal, Sport e EV), o NX 300h é menos envolvente do que aquilo que a sua aparência faz supor. O rolamento da carroçaria em curva é superior ao desejável, a direção podia ser mais incisiva e, nas travagens em apoio, as transferências de massa não escondem para onde se dirigem as prioridades deste crossover híbrido em termos de desempenho.

O NX 300h aqui em apreço tem no sistema Lexus Hybrid Drive um dos seus ex-líbris. Contempla um motor de quatro cilindros a gasolina, 2.5 VVT-i, que funciona em ciclo Atkinson, uma bateria de hidreto metálico-níquel alojada sob o banco traseiro e dois motores elétricos: um dianteiro de 143 cv; outro traseiro de 68 cv. Tudo somado, a potência máxima combinada é de 197 cv, sendo transmitida às quatro rodas por intermédio de uma nova transmissão híbrida, dotada de um gerador e de um motor elétrico ligado a um duplo sistema de engrenagens planetárias.

A engrenagem planetária cumpre três funções: serve de dispositivo de divisão da potência entre o gerador e as rodas dianteiras, de mudança de redução para o motor elétrico e, quando a trabalhar em conjunto, como transmissão de velocidade de variação contínua controlada eletronicamente (CVT). A transmissão híbrida oferece um modo de passagens sequenciais, o qual permite que seja entregue o máximo de potência quando solicitada e incrementa a capacidade de travagem do motor. E as prestações não são nada más. Já o sistema de tração integral da Lexus (E-Four), recorre a um motor elétrico adicional para acionar o eixo traseiro, enquanto que o eixo dianteiro é movido pelo motor gasolina, pelo motor elétrico ou por uma combinação de ambos. O sistema E-Four faz variar a distribuição de binário nas rodas traseiras, dependendo da dinâmica de condução e das condições da estrada, proporcionando um nível de estabilidade no arranque e de aceleração em superfícies escorregadias que é equivalente ao de versões com quatro rodas motrizes.

Avaliacao Obrigatoria Lexus NX

Ficha Técnica

MOTOR DE COMBUSTÃO
Tipo: 4 cilindros em linha, transversal, dianteiro
Cilindrada (cc): 2494
Diâmetro x curso (mm): 90,0x98,0
Taxa de compressão: 12,5:1
Potência máxima (cv/rpm): 155/5700
Binário máximo (Nm/rpm): 210/4200-4400
Distribuição: 2 v.e.c./VVT-i, 16 válvulas
Alimentação: injeção eletrónica

MOTORES ELÉTRICOS
Tipo: Magneto permanente
Potência máxima (cv) diant./tras.: 143/68
Binário máximo (Nm) diant./tras.: 270/139

BATERIAS
Tipo: hidreto metálico-níquel
Voltagem (V): 650

TRANSMISSÃO
Tração: integral com VSC
Caixa de velocidades: variável contínua (E-CVT) 

DIREÇÃO
Tipo: pinhão e cremalheira
Assistência: sim (elétrica)
Diâmetro de viragem (m): 12,1 

TRAVÕES
Dianteiros (ø mm): discos ventilados (n.d.)
Traseiros (ø mm): discos maciços (n.d.)
ABS: sim, com EBD+BAS

SUSPENSÕES
Dianteira: McPherson
Traseira: Duplo braço triangular
Barra estabilizadora frente/trássim: sim/sim

PERFORMANCES ANUNCIADAS
Velocidade máxima (km/h): 180
0-100 km/h (s): 9,3

CONSUMOS (l/100 km)
Extra-urb./comb./urb.: 5,2/5,3/5,4
Emissões de CO2 (g/km): 123
Nível de emissões: Euro 6
Ângulos de ataque/saída/ventral (°): 17,2/24,5/n.d.

DIMENSÕES, PESO E CAPACIDADES
Cx: 0,32
Comprimento/largura/altura (mm): 4630/1845/1645
Distância entre eixos (mm): 2660
Vias frente/trás (mm): 1580/1580
Altura ao solo (mm): 185
Capacidade do depósito (l): 56
Capacidade da mala (l): 555-1600
Peso (kg): 1980
Relação peso/potência combinada (kg/cv): 10,0
Jantes de série: 7 1/2Jx18”
Pneus de série: 235/55R18
Pneus unidade testada: Bridgestone Dueler H/L 33, 235/55R18 100Y

GARANTIAS
Mecânica: 5 anos ou 160.000 km
Pintura: 3 anos
Anticorrosão: 12 anos
Bateria: 5 anos (10 anos sem limite km se revisões forem na Lexus)

ASSISTÊNCIA
1.ª revisão: 30.000 km
Custo 1.ª revisão (c/ IVA): €314
Intervalos de assistência: 30.000 km (15.000 km mudança óleo)
Imposto Único Circulação (IUC): €249,48

PREÇO (s/ despesas): €61.800 (unidade testada: €65.530)