3.ª edição da expoMECÂNICA foi a melhor de sempre

Na edição de 2016, a expoMECÂNICA superou todas as expectativas. Costuma dizer-se que não há duas sem três. Pois bem, foi precisamente o que aconteceu até domingo passado, dia 17 de abril. Com cerca de 13.000 visitantes (12.729), num crescimento de 22% relativamente à anterior, a 3.ª edição da expoMECÂNICA contou com 168 expositores.

Num inquérito de opinião, 97,5% dos visitantes revelou a intenção de voltar no próximo ano. Os números dizem ainda que 94% dos expositores atingiu os objetivos.

Como não podia deixar de ser, a AP Comunicação, detentora dos títulos Jornal das Oficinas, Revista dos Pneus, Revista Top 100 – As Maiores Empresas do Aftermarket e Revista das PME – Empresas do Aftermarket, marcou presença destacada no evento através de um amplo stand, onde, para além de um bar que serviu de ponto de encontro do setor, deu a conhecer o concurso "Melhor Mecatrónico 2016" e contou com a participação da ATEC.

Recorde-se que a feira cresceu mais de 60% (em expositores) em apenas três edições. "Estamos naturalmente muito satisfeitos com o resultado", refere José Manuel Costa, diretor de Desenvolvimento e Projetos Especiais da Kikai Eventos, destacando o "esforço conjunto" do tecido empresarial, parceiros associativos e media partners, que sedimentam a expoMECÂNICA no patamar de evento referência do pós-venda e manutenção automóvel nacional.

Quem visitou a exposição encontrou uma "mostra preenchida, com apontamentos de interesse ao nível da apresentação dos espaços e das novidades, fruto da atenção e dedicação das empresas expositoras, num trabalho antecipatório" descreve Sónia Rodrigues, diretora de Operações e Produção da KiKai, ao realçar ainda o "envolvimento e o empenho nas demonstrações de novos equipamentos, produtos e técnicas", com a presença de especialistas nos respetivos espaços.

A melhor edição de sempre
A satisfação das empresas tem acompanhado a evolução do evento. O balanço desta edição sofreu uma ligeira variação entre o "positivo" e "muito positivo", existindo, na maioria das empresas, uma perceção comum: "Estivemos, sem sombra de dúvida, perante a melhor edição de sempre da feira. Foi a melhor das três edições em que participámos, afirmou Pedro de Jesus, da Cometil, secundado por Pedro Santos, da Intermaco: "Sem dúvida, a melhor feira. Para Jorge Menezes, da Schaeffler Iberia, também não há hesitações: "Estamos perante o melhor salão do setor nacional". E muito terá contribuído a grande afluência de visitantes, sobretudo no segundo dia de feira. O sábado foi "memorável", para José Morgado, da Domingos & Morgado, e "um dia do melhor", nunca visto também por Vítor Rocha, da AltaRoda. Já no caso da Gonçalteam, o primeiro dia determinou o resultado: "Conseguimos dois bons contactos que resultaram em negócios efetivos e, logo aí, pagaram o investimento feito na feira», destaca António Gonçalves, responsável da empresa.

E é precisamente nos bons contactos conseguidos que, por exemplo, a Top Truck, a Tecniverca e a Conversa de Mãos depositam confiança, perspetivando a concretização de negócios no pós-feira. "Já não há compras impulsivas como antigamente", identifica ainda Edmundo Costa, da Cetrus, ciente do trabalho de semanas que se segue, para que a perspetiva de negócio de múltiplos contactos se efetive.

Contribuindo para o elevado índice de satisfação do salão, a estreante Corcet aponta o inequívoco "sucesso" desta edição e, através de Augusto Teixeira, um dos responsáveis da firma, não tem dúvidas de que estará "cá para o ano". A adesão (muito concorrida) e os inúmeros contactos realizados na feira são, por isso, os fatores que estão na base da decisão de regressar.

Idêntica opinião tem Patrícia Lima, da MCoutinho, que afirma ter corrido "mesmo muito bem" e ter sido claramente "uma aposta ganha", garantindo já a participação em 2017. Também a empresa Enganches Aragón está certa que voltará. "Regressaremos para continuarmos a trabalhar o mercado português", referiu Marc Marín Banus, representante da empresa espanhola - o país que teve a maior representação estrangeira até ao momento na feira (12 empresas).

De destacar ainda o cartaz de atividades paralelas (desde palestras, conferências, apresentação de novidades e demonstrações de equipamentos e tecnologias) que valorizaram e imprimiram dinamismo à feira, com momentos únicos que milhares de profissionais não perderam. A grande afluência ao certame, sobretudo no sábado, ficou bem evidente ao nível da assistência no espaço Demotec. "Tivemos casa cheia, sempre com lotação esgotada", sintetiza Paulo Pinto, delegado-técnico da Schaeffler Iberia para o mercado português.

O momento foi ainda aproveitado pela organização para "ouvir" e "tomar nota" da possibilidade da realização da expoMECÂNICA em Lisboa. Trata-se de um desafio lançado pelo tecido empresarial do aftermarket, que a Kikai Eventos está a estudar. "O resultado desta avaliação definirá os contornos do projeto", explica José Manuel Costa, a pensar na "ampliação sustentada e no reforço da notoriedade da marca expoMECÂNICA".  

Agendada está já a data da próxima edição no Porto, a quarta, que se realizará de 21 a 23 de abril de 2017.

Vídeo