Relatório de sustentabilidade Axalta 2014/2015

A Axalta Coating Systems publicou o seu relatório de sustentabilidade, que abrange a evolução do desempenho da companhia no que se refere a uma série de indicadores monitorizados ao longo de 2014 e 2015.

O relatório analisa os progressos realizados nas operações e no cumprimento da legislação ambiental, a tecnologia e inovação de produtos, a aquisição e desenvolvimento de talentos, que vão fornecer a base para um crescimento sustentado, e ainda as iniciativas corporativas de responsabilidade social que contribuem para apoiar as comunidades nas quais a Axalta opera.

O período de dois anos compreendido no relatório, tem tido uma capacidade transformadora na história da Axalta. Depois de emergir como uma empresa independente, a Axalta iniciou um ciclo de crescimento anunciando a expansão de unidades de produção na China, Alemanha, Brasil, México, Argentina e Índia.

Estas unidades fabris, umas já concluídas e outras ainda em construção, foram desenvolvidas com tecnologia de última geração, a fim de reduzir o seu impacto ambiental e produzindo, simultaneamente, revestimentos de qualidade.

Embora o aumento da produção tenha sido superior a 12% desde 2013, e o número de fábricas tenha aumentado de 35 para 38, a taxa de intensidade energética decresceu 6% no mesmo período. Os dados revelam que o compromisso da Axalta em manter a segurança no trabalho permanece sólido.

Foram, de igual modo, anunciados investimentos para reforçar a capacidade de I&D, fundamentais para desenvolver tecnologias de revestimento de última geração, formulados para ajudar os clientes a atingir as suas próprias metas de sustentabilidade.

Novas formulações permitem que as tintas para veículos da Axalta sejam aplicáveis a substratos mais leves, como a fibra de carbono, cada vez mais integradas no design de veículos com o objetivo de promover a economia de combustível e de reduzir as emissões de CO2.

As tintas em pó Alesta da Axalta, ajudam a diminuir a absorção de calor pelos edifícios, reduzindo os custos de ar condicionado e o correspondente consumo energético, e tornando o processo de remoção de graffitis, um encargo financeiro multimilionário suportado quer pelo setor público quer pelo privado, mais eficiente e rentável. Revestimentos para soluções energéticas tais como o Voltahyde, que tornam o funcionamento dos motores mais produtivo, estão, também, disponíveis em formulações livres de formaldeído.