Bosch desenvolve sistema de carregamento por indução

Em breve, os sistemas de armazenamento de bateria em veículos elétricos poderão estar para as redes de energia renováveis como os power banks estão para os telemóveis: uma bateria externa.

Esta é, de facto, uma solução muito prática: se assim não fosse, seria necessário recorrer aos incómodos cabos de carregadores. Atualmente, os condutores têm de ligar os cabos do seu veículo elétrico à estação de carregamento.

Mas isto poderá estar prestes a mudar. A Bosch, na qualidade de coordenadora do projeto, está a trabalhar com a Fraunhofer Society e com a GreenIng GmbH & Co. KG na investigação de um conceito inovador de carregamento por indução – isto é, sem contacto físico – através de um campo magnético, enquanto o veículo se encontra parqueado numa estação de carregamento.

A solução é baseada em baterias de veículos elétricos que permitem um carregamento bidirecional: as baterias usam um poderoso e inteligente sistema de carregamento para armazenar energia, mas, também, podem devolver energia à rede, conforme necessário. Quando o sol e o vento estão fortes, a eletricidade é armazenada na bateria do automóvel. Quando o céu está nublado e o vento calmo, este é alimentado pela rede, que permite responder às necessidades do automóvel.

A vantagem do sistema indutivo consiste na possibilidade de carregar o automóvel sem fios. O facto de os veículos já não necessitarem de ser ligados manualmente com cabos de carregador, faz com que estes possam ser conectados à rede com mais frequência.

O projeto visa, também, desenvolver um conceito para a produção económica dos componentes do sistema de carregamento, bem como um modelo de negócio para vários serviços de rede associados à recuperação de energia. E, uma vez que as estações de carregamento bidirecionais estão ligadas à rede elétrica, podem igualmente reduzir a carga e estabilizar a rede, mesmo quando os veículos estão na estrada.

O BiLawE (palavra alemã para bidirecional, sistemas indutivos e económicos de carregamento em rede) consiste num projeto de investigação que recebeu 2,4 milhões de euros de financiamento do Ministério Federal Alemão da Economia e Energia como parte do programa ELEKTRO POWER II, sendo ainda apoiado pelo cluster líder Electric Mobility South-West.

Os parceiros deste projeto, para além do coordenador Robert Bosch GmbH, são Fraunhofer Institute for Solar Energy Systems ISE, Fraunhofer Institute for Industrial Engineering IAO d GreenIng GmbH & Co. KG. O projeto arrancou no início de 2016 e terá a duração de três anos.