Exportação de componentes de automóveis aumentam

As exportações de componentes automóveis atingiram um valor de 3.600 milhões de euros para o período de janeiro a maio. Comparativamente com período homólogo do ano transato, este valor representa um crescimento de 9%.

Este crescimento do valor das exportações está muito acima do crescimento global do mercado e, em particular, do mercado europeu para o qual é esperado um crescimento um pouco acima de 2% para o ano de 2018.

Quer isto dizer que a indústria portuguesa de componentes para a indústria automóvel continua a conquistar quota de mercado, ficando a taxa bem acima da taxa de crescimento do mercado automóvel.

As exportações de componentes são dirigidas, maioritariamente, para o mercado europeu, com Espanha e Alemanha a serem os destinos prioritários, logo seguidos de França e Inglaterra.

Estes quatros países absorvem 71% do total das exportações de componentes. Os restantes 29% vão para destinos diversos, como o resto da Europa, EUA, Marrocos, Coreia do Sul e China.

Estes valores traduzem a exportação direta, já que acrescem as exportações indiretas por incorporação de componentes de fabrico nacional nas viaturas montadas em Portugal e, posteriormente, exportadas, ficando o valor acima de 500 milhões de euros.

As exportações de componentes automóveis são responsáveis por 15% das exportações portuguesas. Este excelente desempenho da indústria de componentes automóveis não deixa de refletir algumas preocupações no horizonte temporal se o país político não souber encontrar as respostas adequadas para que a competitividade do setor seja, como mínimo, preservada e desejavelmente melhorada.

Também pode querer ler