DEKRA apresenta Road Safety Report 2018

A DEKRA apresentou o Road Safety Report 2018, cujo tema foi dedicado ao "Transporte de Mercadorias". O seminário contou ainda com a participação da ANTRAM e da LASO Transportes, que contribuíram para o debate em torno da segurança e da redução da sinistralidade rodoviária.

Os números relativos aos acidentes ocorridos nos estados-membros da UE mostram, claramente, que os veículos pesados são muito mais seguros do que a sua reputação sugere.

No entanto, devido às elevadas massas envolvidas, os acidentes que envolvem veículos pesados com 12 toneladas ou mais acarretam consequências especialmente graves, não só para os condutores dos veículos pesados, mas, também, e acima de tudo, para os condutores de veículos ligeiros e utentes vulneráveis da estrada, como peões e ciclistas.

Nos estados-membros da UE, o número de pessoas mortas em acidentes envolvendo veículos com peso superior a 3,5 toneladas caiu de 7.233 em 2006 para 3.848 em 2015 (redução de 47%).

“Apesar da tendência de redução do número de vítimas que tem vindo a ser registada ao longo dos últimos 25 anos, é necessário intensificar o esforço para prosseguir essa mesma tendência e convergir com o objetivo definido pela UE, que visa a redução do número de vítimas mortais nas estradas.

A tecnologia e as condições infraestruturais têm vindo a evoluir significativamente. Porém, é necessário aumentar o investimento no fator humano, nomeadamente no capítulo da formação e na sensibilização face a comportamentos de risco, como, por exemplo, o uso do telefone ou de auriculares”, referiu Sandro Campos ,na apresentação do estudo da DEKRA.

Um dos exemplos exibidos que evidenciam a evolução tecnológica dos veículos ao longo do tempo, consiste num teste comparativo realizado pela DEKRA entre um Mercedes-Benz Actros de hoje com o seu antecessor SK de 1997 (ambos equipados com um semirreboque com um peso de 38,5 toneladas) que demonstra a melhoria contínua dos sistemas de travagem nas últimas décadas.

O veículo actual imobilizou-se após 41 metros de travagem quando circulava à velocidade de 80 km/h. O veículo mais antigo, no entanto, ainda circulava a 43 km/h depois de percorrer essa mesma distância e necessitou de mais 16 metros para se imobilizar.

Mais informações sobre o Road Safety Report 2018, podem ser obtidas aqui.

Também pode querer ler