Indie Campers duplicou volume de negócios na Europa em 2018

A empresa portuguesa, fundada, em 2013, pelo luso Hugo Oliveira e pelo austríaco Stefan Koeppl, ultrapassou todos os objetivos definidos.

Embora Portugal continue a ser o mercado em que a Indie Campers tem uma maior representação (37% do seu volume de negócios), a empresa duplicou a sua atuação na Europa, passando de cerca de 3.000 viagens para quase 6.500.

Não só atingiu o objetivo de se fortalecer nos mercados externos, como demonstrou que os resultados obtidos vão ao encontro das metas que tinha definido para o ano que há dias terminou.

Desde 2013, altura em que foi fundada, a Indie Campers consolidou-se como um dos principais operadores de aluguer de autocaravanas na Europa e, simultaneamente, conquistou a posição de líder incontestável no mercado nacional.

Na realidade, com uma postura proativa e objetivos claramente definidos, reorganizou-se nos pontos onde já atuava, abrindo novos espaços de operação em locais estratégicos.

Por outro lado, passou a operar em mercados que se mostravam promissores e onde ainda não estava presente, como foram os casos de Alemanha, Croácia, Bélgica, Holanda e Inglaterra.

Os resultados não tardaram e, em 2018, a Indie Campers conseguiu duplicar a sua presença na Europa, passando a estar em 10 países e a operar com 650 carrinhas, o que se traduziu num crescimento da frota em 63%.

Paralelamente, a Indie Campers deixa de operar apenas com os modelos tradicionais de autocaravanas, disponibilizando opções mais dinâmicas, ecológicas e inovadoras, designadamente com os modelos de autocaravanas Sporty, Active Plus, Motorhome, Volkswagen California, Urban, Explorer e Nomad.

Atendendo aos resultados, também esta decisão parece ter sido acertada, uma vez que o número de viajantes, que, em 2017, rondava os 14 mil, teve, em 2018, um crescimento de 80%, ultrapassando as 25 mil pessoas.

Apesar de os estrangeiros representarem 90% dos clientes da Indie Campers, Hugo Oliveira acredita que, num futuro próximo, “o número de portugueses que escolhem viajar e fazer férias desta forma não só irá aumentar, como será mais diversificado já que, com a diferente abordagem, o conceito vai chegar àqueles que valorizam a liberdade de ter uma casa sobre rodas, mas não abrem mão do conforto”.

Também pode querer ler