ALF pronuncia-se sobre declarações do Ministro do Ambiente

Na sequência da entrevista concedida pelo Ministro do Ambiente ao Jornal de Negócios, a ALF emitiu um comunicado em que presta os devidos esclarecimentos sobre o assunto.

O Ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes, terá dito que “é muito evidente que quem comprar um carro Diesel muito provavelmente, daqui a quatro ou cinco anos, não vai ter grande valor na sua troca”.

Perante isto, a Associação Portuguesa de Leasing, Factoring e Renting (ALF) vem esclarecer que as declarações do Ministro do Ambiente não só não espelham a realidade, como não contribuem para reforçar a previsibilidade e estabilidade que devem nortear o esforço de redução das emissões dos veículos em que toda a sociedade está empenhada.

De facto, o setor do renting, enquanto principal especialista na projeção dos valores futuros dos automóveis, não tem qualquer indicação de que exista uma tendência decrescente no valor dos veículos Diesel.

Acrescentando ainda que a referida afirmação não tem, assim, qualquer base técnica e só pode ser entendida num contexto político desfasado da realidade do setor automóvel.

Os motores a Diesel evoluíram consideravelmente nos últimos anos, sendo, hoje, bastante mais eficientes e desempenhando um papel bastante importante no esforço de redução de emissões.

Atendendo ao contexto regulatório europeu, à evolução natural do mercado e às inovações tecnológicas que a indústria automóvel tem vindo a introduzir, a ALF está convicta de que a transição para automóveis híbridos e/ou elétricos deverá processar-se de forma gradual, acompanhando a evolução natural do mercado e da crescente oferta de viaturas cada vez mais eficientes ao nível de emissões.

Por último, a ALF reitera a sua total disponibilidade para trabalhar com as autoridades nacionais na promoção de modos de mobilidade mais sustentáveis, tal como tem feito, aliás, a nível da União Europeia, através da Leaseurope.

Também pode querer ler