Logo
Imprimir esta página

LIQUI MOLY chega à Fórmula 1

A marca alemã fará publicidade ao longo das pistas de 11 corridas, no Grande Prémio do Bahrein, sendo uma das poucas marcas a conseguir este feito.

O Grande Prémio do Bahrein, que se realiza a 31 de março, assinalará a grande estreia da LIQUI MOLY na prova rainha do desporto motorizado. "A Fórmula 1 e a LIQUI MOLY fazem uma boa equipa, porque o que lhes interessa são desempenhos máximos ao mais alto nível", refere Ernst Prost.

A Fórmula 1 não é terreno desconhecido para a marca alemã de lubrificantes e aditivos. Na década de 2000, a LIQUI MOLY já tinha apostado uma vez com a equipa da Jordan. E até levou o nome de Portugal pelas pistas da Fórmula 1, com Tiago Monteiro aos comandos.

"O objetivo da publicidade na Fórmula 1 é aumentar o reconhecimento da nossa marca. Os óleos e aditivos 'escondem-se' nas profundezas dos motores. Não são produtos que os automobilistas veem todos os dias, olhando para eles com satisfação. Por isso, é que a visibilidade da marca é tão importante para a LIQUI MOLY. Uma qualidade máxima não é muito útil quando ninguém a conhece e não sabe quais são as suas vantagens", explica Ernst Prost.

Para além da Fórmula 1, as atividades internacionais da LIQUI MOLY incluem o Mundial de Motociclismo (MotoGP) e o Campeonato de Carros de Turismo (TCR). Acrescem a isso ainda vários compromissos a nível nacional, regional e, até mesmo, local.

"Vamos buscar os clientes onde eles estão e se sentem em casa", frisa Günter Hiermaier, diretor de vendas e diretor-adjunto da LIQUI MOLY.

Mas a LIQUI MOLY não se limita ao desporto motorizado. Este inverno, o logótipo azul, vermelho e branco foi visto no Campeonato Mundial de Andebol, que bateu todos os recordes, no Campeonato do Mundo de Hóquei em Gelo, no Torneio Four Hills, no Campeonato Mundial de Esqui e na NBA, com os Chicago Bulls.

No comunicado, pode ler-se a explicação do diretor de marketing, Peter Baumann: "Isto garantiu-nos novos grupos alvo e clientes. E permitiu-nos colmatar a pausa de inverno do desporto motorizado. Há três fatores importantes: o número de pessoas que assistem aos eventos no local, a presença dos meios de comunicação social e a possibilidade de criar uma imagem positiva para a própria marca".

Depois de 545 milhões de euros no ano passado, este ano, a empresa aumentou a fasquia e pretende alcançar um volume de negócios de, pelo menos, 600 milhões de euros, ou seja, um aumento de, no mínimo, 10%.

No seu mercado de origem, a Alemanha, a LIQUI MOLY já alcançou uma posição tão forte que é difícil pensar num crescimento adicional. Por isso, olha-se agora para as exportações a nível mundial, onde a LIQUI MOLY está a apostar cada vez mais numa nova estratégia de vendas.

Tradicionalmente, a empresa vende através de importadores independentes na maioria dos países. Em Itália e França, a LIQUI MOLY vai passar a assumir ela própria a comercialização dos seus produtos.

"Nem todos os importadores têm os recursos necessários para aumentar as vendas como nós queremos", explica Ernst Prost. "Temos possibilidades de crescimento completamente diferentes para, em vez de pequenos passos, darmos grandes saltos".

Obviamente, isto sai caro em termos de recursos humanos e publicidade. "Mas estes investimentos compensam a longo prazo, porque tanto Itália como França têm um potencial gigante para nós", acrescentou o responsável.

Este ano, o êxito irá assentar sobre três pilares que, segundo Ernst Prost, são os seguintes: "Uma qualidade excecional dos produtos, uma máquina de vendas líder mundial e o aumento exponencial do grau de conhecimento da nossa marca".

Também pode querer ler

Todos os direitos reservados por © AP Comunicação. | Developed By: Webzeki.com