Daniela Godinho: a mecatrónica no feminino

A comemorar 30 anos de existência, o INETE formou a sua primeira mecatrónica. Daniela Godinho, que tem estado desde sempre ligada às duas e às quatro rodas, sente uma forte ligação familiar à mecânica e à velocidade.

Quando decidiu escolher o curso que, há pouco tempo, concluiu no INETE, Daniela Godinho, de 21 anos, não fazia ideia que se tornaria na primeira mecatrónica formada pelo INETE (Instituto de Educação Técnica).

E fê-lo por razões muito pessoais. O pai, desde sempre ligado à mecânica automóvel, incutiu-lhe o “bichinho”. Não só dessa área, mas, também, da velocidade.

Daniela Godinho entrou no desporto motorizado em 2014, nas modalidades de motocross e enduro. Em 2017, passou para as quatro rodas, mais concretamente para o kartcross, tendo terminado a temporada de 2018 em terceiro lugar na Taça de Portugal.

Seguir o caminho da mecatrónica foi algo fácil de decidir e uma consequência natural. Estava-lhe já no sangue a vontade de “mexer” em motores.

Leia o artigo completo na edição de março de 2019 do Jornal das Oficinas.

Também pode querer ler