“Pretendemos prestar um serviço de excelência”

Mais do que a simples venda de peças para veículos, a Autozitânia pretende prestar um serviço de excelência a todos os níveis. Quem o afirma é Flávio Menino, diretor de marketing da Autozitânia.

A Autozitânia dedica-se à importação e distribuição de peças para automóveis em todo o território nacional. Trabalha com os melhores fabricantes de componentes auto, que garantem uma oferta de excelente qualidade. Conta com um grupo de colaboradores que alia a sua experiência à formação técnica e comportamental para poder tratar o cliente como um parceiro, como uma natural extensão do seu negócio.

Tem uma elevada flexibilidade e disponibilidade quando confrontada com novos desafios, o que tem contribuído bastante para a sua evolução enquanto empresa, pretendendo sempre inovar com novos projetos.

O que distingue a cultura da Autozitânia?
A cultura da Autozitânia está diretamente relacionada com a nossa visão, que tem como objetivo gerar valor para todos os nossos stakeholders, criando um equilíbrio entre todos os elementos que fazem parte da nossa empresa. Trabalhamos, diariamente, segundo estes princípios, que nos permitem gerar mais-valias para os nossos colaboradores e para os nossos parceiros. A nossa estratégia passa por contribuir para a evolução do mercado onde nos inserimos, pois essa evolução vai permitir que o mesmo se torne mais forte e beneficie todos os que façam parte dele.

Que produtos e serviços podem os clientes encontrar na Autozitânia?
Os clientes podem encontrar na Autozitânia um portefólio extenso e muito variado de produtos de alta qualidade, sendo que primamos pela grande diversidade e elevada disponibilidade, sempre com produtos marcas de qualidade reconhecida.

Relativamente ao serviço, o nosso principal foco é a prestação de um serviço premium aos nossos clientes. Como exemplos, podemos referir as múltiplas entregas diárias que realizamos, o serviço de encomendas especiais que disponibilizamos ou todo o apoio técnico e comercial, seja presencial, telefónico ou via correio eletrónico que garantimos aos nossos clientes. Esta qualidade de serviço é visível em outras vertentes, como a formação, onde elaboramos um Plano de Formação anual que todos os nossos clientes podem usufruir.

Em relação ao meio online, o nosso serviço faz-se notar através da disponibilização de um catálogo eletrónico para aumentar a comodidade, flexibilidade e rapidez dos pedidos dos clientes, os sites e as redes sociais com atualização permanente. E, mais recentemente, através do lançamento da nossa app para dispositivos móveis (tablets e smartphones), denominada Catálogo & Webshop Autozitânia e disponível para sistemas Android e iOS.

Quais são os vossos principais parceiros e qual tem sido a relação com os mesmos?
A Autozitânia tem vindo ao longo dos anos a aumentar a relação com todos os seus parceiros, sendo que a confiança e a proximidade têm sido fatores fundamentais para o sucesso destas parcerias. Completamos em 2018 32 anos de existência e existem parceiros com quem temos uma relação que já dura há muitos anos. Outros temos em que essa relação é mais recente. Contudo, podemos referir que dispomos de uma ótima relação com todos eles e todos têm sido essenciais para conseguirmos atingir esta marca e para continuarmos a projetar o futuro.

Quais os projetos delineados no sentido de potenciar as soluções da Autozitânia no futuro?
Temos planeado uma melhoramento e alargamento das nossas instalações de Coimbra e ainda uma renovação da imagem das nossas lojas. Relativamente ao aumento de portefólio, é uma estratégia que temos vindo a seguir e vamos continuar no mesmo rumo, ou seja, continuar a aumentar o nosso portefólio sempre com marcas e produtos de qualidade reconhecida.

As mais recentes novidades nesta área são a inclusão de baterias da marca Exide, a incorporação da marca Monroe e o relançamento dos óleos Orlen.

As estratégias comerciais e de marketing que têm vindo a ser seguidas também são para continuar. Vamos manter a nossa aposta na proximidade e na realização de ações de marketing relacional, que permitem aumentar a relação de confiança com os nossos parceiros. Nesta área, também procuramos ajudar os nossos clientes, nomeadamente seguindo uma estratégia integrada, que permita, também a estes, aproximar os seus clientes, construindo relações cada vez mais próximas.

Relativamente ao estado da distribuição de peças automóvel no nosso país, quais os principais constrangimentos que encontram no exercício da vossa atividade?
O setor da distribuição de peças automóvel em Portugal destaca-se pela concorrência bastante agressiva a nível interno. Existem muitos players a operar neste mercado e a oferta de produtos e marcas é bastante homogénea. Estes fatores fazem com que muitos destes players optem por uma “estratégia de preço”, o que provoca uma grande diminuição nas margens de negócio e desestabiliza este mercado.

A esta concorrência interna tem vindo a juntar-se a concorrência internacional, nomeadamente através de venda de peças online e do interesse de grandes grupos internacionais pelo mercado nacional. Noutra vertente, designadamente a nível financeiro/económico, outro constrangimento bastante relevante é a dificuldade de recebimento, que, muitas vezes, é provocada pelos fatores de mercado nacional anteriormente descritos.

As nossas principais preocupações relativamente ao futuro do aftermarket em Portugal são a quebra da rentabilidade, que, como descrito anteriormente, é provocada pela pressão exercida por muitos players sobre as margens de negócio e a necessidade cada vez maior de trabalhar sobre volumes, de forma a atenuar essa diminuição da margem sobre a rentabilidade.