Peugeot Partner de passageiros chama-se Rifter

A Peugeot mostrou a sua versão dos trigémeos do Grupo PSA, onde se inclui, agora, a Opel, que vão ser produzidos em Mangualde. No caso, a variante de passageiros muda de nome de forma a ganhar mais autonomia.

Assim, aquele que, até à data, era conhecido com Partner Tepee passa a chamar-se Rifter, mergulhando no universo outdoor com várias atualizações. O Peugeot Rifter vai ainda mais longe e acrescenta uma personalidade forte e dinâmica. O perfil vincado sublinha a força do estilo. As proporções são perfeitamente equilibradas, com uma cintura elevada e projeções reduzidas.

As barras de tejadilho são parte integrante do desenho, cujas bases abertas permitem cintar objetos. A secção traseira integra um grande portão, que dá acesso a uma bagageira generosa em volume. A associação à gama é clara, com as luzes dotadas de três garras expressivas do estilo da marca.

O design interior caracteriza-se pela instalação do i-Cockpit, o novo tablier da marca francesa que foi estreado pelo 3008. Sublinha um habitáculo harmonioso e contemporâneo, jogando com a pureza das linhas e uma qualidade que a marca quer que seja de referência. O volante tem duas zonas planas, um ecrã tátil de 8" e um head-up display de design superior com contornos cromados e ponteiros vermelhos.

A versão GT Line será uma das coqueluches da gama. Quanto a motorizações, a marca francesa aposta tudo no 1.2 PureTech de 110 e 130 cv. Nos Diesel, destaque para os 1.5 BlueHDI de 130, 100 e 75 cv. Alguns destes motores podem trazer acoplada a nova caixa automática EAT8.